Módulo 1 - Coordenadas UTM

Módulo 1 - Noções Básicas de Cartografia

11.O que é coordenada UTM?

As maiorias das cartas de grande e média escala, em nosso país são construídas com coordenadas plano-retangulares (a partir de 1955). Estas coordenadas formam um quadriculado relacionado à Projeção Universal Transversa de Mercator (UTM). O espaço entre as linhas do quadriculado UTM é conhecido como eqüidistância do quadriculado e será maior ou menor de acordo com a escala da carta.

O sistema de medida usado é o linear em metros, cujos valores são sempre números inteiros, sendo registrados nas margens da carta. Assim, essa projeção divide a Terra em 60 fusos de 6º de longitude cada um. O quadriculado, se considerado como parte integrante de cada fuso, tem sua linha vertical central coincidente com o meridiano central de cada fuso, o que faz com que a projeção se estenda em 3º para leste e 3º para oeste do meridiano central do fuso.

Os meridianos do fuso ou zona da projeção formam um ângulo com as linhas verticais da quadrícula. Esse ângulo é nulo para o meridiano central, mas vai aumentando com a diferença de longitude e também com a latitude. Este ângulo foi chamado de convergência meridiana, a qual é variável em relação à situação a cada ponto dentro da zona e representa, para cada ponto, o ângulo formado entre as linhas que indicam o norte geográfico e o norte da quadrícula.

Em latitude, os fusos são limitados ao paralelo de 84º N e 80º S, porque as deformações tornar-se-iam muito acentuadas para latitudes superiores. As regiões polares devem ser representadas pela projeção Universal Polar Estereográfica.
Como a limitação em latitude do sistema é até 80º S ou 84º N, o sistema neste sentido é escalonado em 4º e designado pelas letras do nosso alfabeto, maiúsculas, em disposição crescente, no mesmo sentido dos módulos das latitudes, acrescidas do símbolo da latitude, ficando assim, primeira zona ao sul, designada por SA, segunda zona ao sul SB, e inversamente para o norte do equador NA, NB, etc.

Fonte: Rosa, Roberto; Cartografia Básica.

Os paralelos na projeção UTM apresentam-se como arcos de curvatura, voltando sua concavidade para os pólos Como são 60 fusos para toda a Terra, cada fuso é numerado a partir do antimeridiano de Greenwich para a direita. No Brasil estão os fusos de numeração de 18 a 25, na direção oeste-leste. A origem das medidas do quadriculado é o cruzamento do meridiano central com o equador, ao qual foram atribuídos arbitrariamente os seguintes valores: para o meridiano central, 500.000 m E, determinando as distâncias em sentido leste/oeste, e para o equador, 10.000.000 m para o hemisfério sul, e 0 m pa ra o hemisfério norte.
Para o Brasil, quase totalmente inserido no hemisfério sul, considera -se as coordenadas acima do equador, crescendo seqüencialmente, a partir dos 10.000.000 m adotados para as áreas do hemisfério sul, ou seja, não se considera o equador como 0 m, para contagem das coordenadas da porção do Brasil situada no hemisfério norte.
A simbologia adotada para as coordenadas UTM é:
· N - para as coordenadas norte-sul;
· E - para as coordenadas leste-oeste.
· Logo, uma localidade qualquer será definida no sistema UTM pelo par de coordenadas E e N.

Os sistemas de coordenadas comumente usados para representar os dados espaciais são: latitude/longitude e UTM (Universal Transversa de Mercator). O conhecimento acerca do fuso é fundamental para o posicionamento correto das coordenadas do sistema UTM. O seu cálculo pode ser efetuado facilmente através da seguinte fórmula:

Fuso = inteiro ((180 ± l) /6 + 1).

Usa-se o sinal (+) para longitudes leste de Greenwich e (-) para longitudes oeste de Greenwich.

Nenhum comentário:

Postar um comentário